E os industrializados???

Hoje vou conversar com vocês sobre a importância da mamãe junto com o papai deixarem um pouco o mercado e voltarem para o aconchego da cozinha.

Além de unir o casal, os filhos ficarem mais felizes por verem papai e mamãe juntinhos, a saúde da família também vai agradecer muito.

Quando eu e o Raony decidimos que era a hora de engravidarmos, nós éramos super desregrados com alimentação. Ele amava doces e eu nem passava perto da cozinha… com a notícia do positivo, minha irmã me colocou em vários grupos do facebook e, agradeço muito!!! Afinal conheci a Educação Montessoriana que aplico aqui em casa e, o blog “As delicias do Dudu”, hoje “As delicias do Dudu e da Annie”, foi com as receitas desse blog que voltei para cozinha e me encontrei no mundo das panelas.

Assim iniciei minhas pesquisas e experimentos sobre alimentação saudável e alimentação infantil. Infelizmente perdemos nosso bebê mas, a reeducação alimentar continuamos e, a primeira atitude que tomamos, foi eliminar o máximo de industrializados, então eu fazia nosso pão para o café da manhã, a bolachinha para petiscar, bolos, pates, maionese…. passamos a ingerir muito mais frutas… nossas compras passaram a ser na feira e na zona cerealista de SP. Apenas os produtos de higiene e limpeza eram comprados no hipermemercado.

A minha alegria em produzir o alimento da minha família era tão grande que não me importava de trabalhar o dia todo na Sabesp e a noite preparar a janta e adiantar o café da manhã. Com isso eu e meu marido emagrecemos rapidamente, ele perdeu 12 Kg. Foi aí que fiquei mais intrigada… como perder 12 Kg sem fazer dieta? Porque comíamos a mesma quantidade, a única mudança foi a substituição de produtos industrializados por versões caseiras.

Passei a ler os rótulos de todos os produtos antes de comprar e, percebi a quantidade de porcarias que comemos sem perceber.

Aprendi que o primeiro ingrediente do rótulo é o que tem em maior quantidade no produto e assim por diante em ordem decrescente. Então se houver açúcar entre os primeiros nomes dos ingredientes, não é alimento, é guloseima. E o açúcar sabe se fantasiar. Ele também é chamado de: dextrose, xarope de milho, maltodextrina…

Se a embalagem do produto indica que é integral, com letras em destaque e, na lista dos ingredientes o primeiro deles for “farinha de trigo enriquecida com ácido fólico”, não é integral.

Após 3 meses chegou a notícia do positivo novamente e a alegria tomou conta dos nossos corações. Naquele momento, mais do que nunca mergulhamos no mundo da cozinha cada dia mais natural e caseira.

Agora as pesquisas partiram para o caminho da alimentação infantil e como toda mãe, também queria receber elogios mensais do pediatra dizendo que o Rhaul cresceu e ganhou peso. Fui logo no tão amado Mucilon mas, como já havia criado o hábito de ler o rótulo…. fiquei indignada com o que vi.

A recomendação do fabricante: “É específico para complementar a alimentação de crianças a partir do 6º mês e uma ótima opção para lanches intermediários. ”

E na lista de ingredientes disponível no rótulo do Mucilon®.

“FARINHA DE ARROZ, AÇÚCAR, AMIDO, SAIS MINERAIS (CARBONATO DE CÁLCIO, FOSFATO DE SÓDIO DIBÁSICO, FUMARATO FERROSO, SULFATO DE ZINCO), VITAMINAS (VITAMINA C, NIACINA, VITAMINA E, ÁCIDO PANTOTÊNICO, VITAMINA A, VITAMINA B1, VITAMINA B6, ÁCIDO FÓLICO, VITAMINA D) E AROMATIZANTE VANILINA. CONTÉM GLÚTEN. CONTÉM TRAÇOS DE LEITE.”

Açúcar como segundo ingrediente em um produto específico para crianças a partir de 6 meses!!!!! Como!!!! Se o Ministério da Saúde orienta evitar o açúcar antes dos dois anos de idade. Para saber mais (AQUI )

O Mucilon e os cereais similares são, sim, enriquecidos com diversas vitaminas e minerais mas, isso não significa que são produtos saudáveis. Afinal os 3 primeiros ingredientes são carboidratos refinados e as vitaminas ficaram para o final da lista. Então melhor oferecer frutas e hortaliças ao Rhaul para obter vitaminas e minerais, já que estão naturalmente presentes nesses alimentos.

Agora vamos analisar a tabela nutricional:

 

Então em 21 g do produto (3 colheres de sopa cheias), 18 g é de carboidrato, constituindo a maior parte de sua composição. Além de ser um cereal sem nada de fibra?!

Como o Mucilon, existe uma infinidade de produtos que são vendidos como excelente opção para os bebês e crianças e, que se pararmos para analisar e pensar, vamos perceber que estamos sendo enganados.

Por que oferecer um produto industrializado enriquecido em vitaminas e minerais se a natureza já nos oferece as frutas, verduras e legumes?

Se for para oferecer um mingau, que seja um caseiro de aveia com alguma fruta… ou um danoninho de inhame com morango… ou uma bolachinha feita com banana amassadinha, aveia e chia… super rápida de preparar e os bebês adoram 😉

Sei que na correria da vida moderna fica muito difícil deixar os industriaizados mas, vamos ler os rótulos e escolher melhores opções para nossos filhos, vamos nos apoderar do poder de escolha. Não é porque a propaganda fala que é bom, que devemos acreditar… nós podemos e devemos ler mais, pesquisar mais, aprender mais…. só assim saberemos fazer as melhores escolhas sobre o que entra em nossa casa para nossa familia.

rhaul
Aceita um bolinho que a mamãe fez? Não aguentei e já comi um pedacinho 🙂